Romance de Samuel e Cido será aceito por Adinéia em 'O outro lado do paraíso' - Sertania Vip

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CIDADE

domingo, 6 de maio de 2018

Romance de Samuel e Cido será aceito por Adinéia em 'O outro lado do paraíso'


Adinéia (Ana Lúcia Torre) finalmente aceitará o romance de Samuel (Eriberto Leão) e Cido (Rafael Zulu) e eles terão um final feliz em "O outro lado do paraíso".

Antes do desfecho, no entanto, o ex-motorista de Sophia (Marieta Severo) ameaçará sair da casa da sogra.

- Nunca fui respeitado. A Suzy (Ellen Rocche) e tua mãe sempre pisaram em mim. A tua mãe diz que aceita nosso relacionamento, mas por trás ela arma. Tou cheio de ser maltratado. Até bolo de café da manhã tive que tentar fazer. E você ficou do lado delas - dirá ele ao médico.


- Eu pensei no bem-estar da Tigrinha. A Suzy sendo mãe da Tigrinha, pensei no bem-estar dela também - justificará Samuel.

- Deveria ter pensado no meu, no que eu significo pra você. Quando tua filha nasceu, Samuel, nem no quarto me deixaram entrar pra ver a bebê - reclamará Cido.

Adinéia, que também estará presente, se intrometerá:

- Você tem muitas qualidades, Cido. Mas é homem.

-  Mãezinha, a senhora disse que aceitava quando eu contei que era gay - dirá o diretor do hospital.

- Mas achei que, se pudesse mudar, ter uma família, seria melhor - responderá ela.

-  Mamãe, a família que eu quero é ele. O Cido - afirmará Samuel, que ameaçará ir embora junto com o rapaz.

Adinéia, então, acabará cedendo:

- Não, não vá. Eu gosto de você, Cido. É apenas que eu achava que meu filho seria mais feliz tendo uma família tradicional.

Em seguida, ela prometerá tratar o genro como rei:

- Como imperador! Eu não quero que o Samuel vá embora, não quero ficar nesse apartamento sozinha.Pretendo ajudar a criar minha neta, que virá ficar conosco com frequência. Quero ter o meu filho por perto, sou tão apegada a ele. Eu gosto de você, Cido. Só não queria aceitar que gosto. Prometo ser uma sogra maravilhosa.

Cido e Samuel vão se declarar um para o outro e seguirão para o quarto. Adinéia ficará sozinha e refletirá:

- Vivendo e aprendendo. Definitivamente, não existe cura gay. Não existe cura porque não existe doença. O Cido não é doente. Muito menos, meu filho Samuel é doente. Simplesmente, eles se amam!

Páginas