CEDOCA É MULTADO EM QUASE 8 MIL REAIS PELO TCE POR SONEGAÇÃO DE DOCUMENTOS


A administração Ângelo Ferreira, que a cada dia demonstra que seu discurso de "perfeição" está muito distante da prática, acaba de receber uma multa pesada por sonegação de informações, sonegando documentos ao Tribunal de Contas, o órgão multado foi o Centro de Derivados de Carne de Sertânia, o famoso CEDOCA, que ele, Ângelo Ferreira, tanto criticava.
Segundo a 2ª Câmara do TCE, que homologou na última quinta-feira (13) o auto de Infração, o CEDOCA foi autuada por sonegação de documentos. O relator do processo foi o conselheiro Dirceu Rodolfo.
Segundo o auto de infração, o CEDOCA, sob o comando da Prefeitura de Sertânia, onde em como gestor Ângelo Ferreira, que criticava tanto a administração passada, dando a impressão de que em seu governo não haveria espaço para erros e que tudo seria perfeito, deveria enviar documentos para alimentação do Sistema Sagres (módulo de execução orçamentária e financeira dos municípios) referentes aos meses de janeiro e fevereiro deste ano, deixando de enviar para este sistema informações sobre a execução orçamentária e financeira do órgão, caracterizando “sonegação de processo”.
De acordo com o conselheiro relator, as informações foram enviadas com quatro meses de atraso, prejudicando os trabalhos de auditoria do TCE e consequentemente o exercício do controle externo. O CEDOCA também terá que pagar multa no valor de quase 8 mil reais, mais precisamente 7.590,00 nos termos da Lei Orgânica do Tribunal.
Então sertaniense, é como costumamos dizer aqui mesmo, ouvimos durante os quatro anos passados, em programa de rádio, na câmara de vereadores de Sertânia, verdadeiras aulas de gestão pública, de criticas ácidas a administração Guga Lins e agora na prática vemos uma outra coisa. Uma administração inerte, despreocupada e medíocre, é o que o sertaniense, que não é apaixonado e que está usando a razão e o não o coração, está observando no dia-a-dia. 
Descuido com a coisa pública, Foram quatro meses de atrasos para envio de documentos, prejudicando os trabalhos de autoria do TCE. Um verdadeiro absurdo. É prejuízo para a empresa, é prejuízo para a população de Sertânia.
Se ele, Ângelo Ferreira, se preocupasse menos em ainda hoje apontar erros da administração passada, talvez não "esquecesse" de orientar seus auxiliares para que estes fornecessem essas informações ao TCE em tempo hábil. Foram quatro meses de atrasos.
Seria bom que o tribunal de contas revertesse essa multa para que ele, Ângelo Ferreira,  pagasse do seu bolso e não o CEDOCA, talvez assim tivesse mais cuidado.
QUEM TE VIU QUEM TE VER!!

Do tribuna do moxotó
Tecnologia do Blogger.