PREFEITO SERTÂNIA QUER BANIR O VERDE E BRANCO DE SERTÂNIA. LEI VISA PROIBIR PINTURAS DA NOSSA BANDEIRA EM PRÉDIOS PÚBLICOS MUNICIPAIS



Inusitadamente o prefeito de Sertânia, o senhor Ângelo Ferreira, apresentou na Câmara Municipal, na última quinta-feira, dia 18 de maio, um projeto de lei que revoga uma outra lei de nº 1.483, de 4 de abril de 2013, a qual foi aprovada pelo povo de Sertânia, através de seus vereadores e tornou obrigatória a pintura nas cores verde e branca do município nos fardamentos escolares.
Em sua lei, que ainda está em tramitação da Câmara, através de Projeto de Lei nº 007/17, quer proibir a predominância de cor ou combinação de cores na pintura dos prédios públicos ou locados pela municipalidade, assim como nos fardamentos e equipamentos públicos, que façam alusão às campanhas políticas. Ou seja, o alvo dele mesmo é proibir o verde e branco da nossa bandeira, já que estas foram usadas na última campanha pelo ex-prefeito Guga Lins.
Qual o interesse do atual prefeito em querer abolir o verde e branco da nossa bandeira? Por que essa pressa toda em extinguir as cores tradicionais de nossa terrinha. A resposta todo sabem, é simples: É porque na verdade a ideia dele é fazer com que o verde e branco sumam e assim não ter que conviver diariamente com essas cores.  
Não é de se estranhar essa atitude do atual prefeito, ele já demonstrou que é imensurável o ódio que sente por essas cores e por seus partidários. 
Vamos repetir aqui: No projeto de Lei nº 006/07, que ele enviou a sua Casa Legislativa, já que ali ele tem maioria e seu irmão é o presidente, ele pretende revogar a lei 1.483, aprovada em 4 de abril de 2013, de autoria do então vereador Luiz Abel, que proibia que prédios públicos municipais, e bem como fardamentos usassem cores diferentes que não as da nossa bandeira, ou seja, o verde e branco, e agora o Prefeito, incomodado com isto, procura, com apresentação desse projeto de lei revoga-la.
No artigo 1 do seu projeto de lei ele deixa claro isso: “fica revogado em todos os seus termos a Lei 1.483 de 4 de abril de 2013, que tornou obrigatório a pintura nas cores verde e branca dos prédios oficiais ou locados da municipalidade, bem como do uso das cores da bandeira do município nos fardamentos escolares(..)”.
Vamos ouvir a população através de enquetes, tanto na web rádio Tribuna do Moxotó(www.tribunadomoxoto.com.br) quanto no site www.tribuna do moxotó.com, para saber se a população está de acordo com essa atitude do prefeito de Sertânia em banir o verde e branco da nossa bandeira de toda a municipalidade.  Vamos lá votem.
Se bem que não vai adiantar muito ouvir o povo, pois, ele, como já mencionamos, tem maioria na Câmara e seus vereadores devem votar de acordo com a sua determinação. Infelizmente essa é a democracia capenga do nosso país, onde não prevalece a vontade do povo, o contrário, pois o que prevalece mesmo é a vontade de déspotas que fazem do poder a sua própria casa ou o quintal dela.
Não basta em qualquer comemoração no município as cores e nossa bandeira serem totalmente ignoradas e o vermelho dar lugar ao verde do nosso brasão? Violentando as tradições de nossas cores e dando lugar a politicagem e o culto a sua imagem com o vermelho e amarelo de seu partido?
Mas cremos na justiça, que será provocada, para coibir isso. Como já aconteceu em outras cidades, quando o governante tentou personificar o poder. A justiça será chamada para decidir  e decidindo, deverá ir contra essa medida de culto ao poder e a imagem, tal qual a do “duce”(era assim que chamava o Benito Mussolini) no fascismo italiano, onde os cidadãos deixavam de ser cidadãos, para tornarem-se todos soldados do seu Estado, numa demonstração de poder ditatorial e ilimitado.
Estamos no século XXI e não há lugar para práticas arcaicas de uma politicagem antiga e coronelista, de quem acha que é dono do voto e do povo, lembrando o voto de cabresto da antiga república, prática que é nociva a coletividade.
tribuna do moxotó
Tecnologia do Blogger.