Delegado acusa regional de perseguição por transferência de São José do Egito para Sertânia


O delegado da Polícia Civil, Ubiratan Rocha, relatou nesta terça-feira (30), em entrevista concedida a Rádio Pajeú que a sua remoção da Delegacia de São José do Egito para Sertânia se deu em razão de perseguição. A falta de um bom relacionamento com a Polícia Militar e o comprometimento a disciplina e a gestão foram as argumentações utilizadas pelo Delegado Regional, Dr. Jorge Damasceno, o que redundou na Portaria 2497, assinada em 24/05/2017 pelo Secretário de Defesa Social Antonio Gioia.
Ubiratan disse ainda que está sendo vítima de arbitrariedade, isso porque a Comunicação Interna – CI que é a base fundamental para o direito a defesa e ao contraditório está inacessível. “Como é que a população toda está sabendo da minha transferência, a Polícia Civil, a Polícia Militar e eu não tenho ciência, comportamentos de ditadura militar devem ser extintos”.
O delegado afirmou que está há dez anos atuando na região do Pajeú e que os outros delegados que foram vítima do mesmo expediente não tiveram coragem de expor suas transferências. Ele ainda declarou que a portaria teve o objetivo de acabar com sua moral.
“ A portaria motivada pessoalmente por desejos de um delegado seccional, querer acabar com a minha moral frente a esses dez anos de trabalho na região, acaba não”. Ubiratan deixou claro que vai em frente e ingressará com Mandado de segurança parta reverter a decisão e que também ingressará com pedido de indenização por danos morais.
blogdoitamar

Tecnologia do Blogger.