Temer diz que ministra 'fez o que deveria fazer' ao homologar delações


O presidente Michel Temer disse nesta segunda-feira (30) que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lucia, "fez o que deveria fazer" ao homologar as 77 delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht.
"Olhe, eu acho que a ministra, presidente Cármen Lúcia, até tinha pré-anunciado que muito possivelmente entre hoje e amanhã faria homologação. Acho que ela fez o que deveria fazer e nesse sentido fez corretamente", disse Temer em Floresta, no Sertão de Pernambuco.
Após conceder entrevista, o presidente seguiu para a cidade de Serra Talhada, onde entregou um campus do Instituto Federal de Pernambuco.

A homologação  das delações dá validade jurídica às delações. Agora, o material será encaminhado para a Procuradoria-Geral da República (PGR), que vai analisar os documentos para decidir sobre quais pontos irá pedir abertura de investigação.
De acordo com a assessoria de imprensa do STF, o conteúdo das delações continua sob segredo de Justiça. O sigilo só deverá ser derrubado após a abertura de investigação sobre os fatos informados pelos delatores (veja ao final desta reportagem os próximos passos da operação no tribunal).
Plantonista do STF no recesso do Judiciário, Cármen Lúcia usou a prerrogativa de presidente para homologar as delações dos dirigentes e ex-dirigentes da empreiteira. Ela tomou a decisão para não atrasar o andamento das investigações da Lava Jato, na medida em que o relator do caso no tribunal, ministro Teori Zavascki, morreu em um acidente aéreo no litoral do Rio de Janeiro.
G1
Tecnologia do Blogger.