IRMÃ DO CANGACEIRO JARARACA COMPLETA CEM ANOS EM SERTÂNIA Dona Quitéria Sá terá festa com música, poesia , comida e bebida, neste domingo, no povoado de Moderna- - Sertania Vip

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CIDADE

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

IRMÃ DO CANGACEIRO JARARACA COMPLETA CEM ANOS EM SERTÂNIA Dona Quitéria Sá terá festa com música, poesia , comida e bebida, neste domingo, no povoado de Moderna-

Irmã do Célebre Cangaceiro Jararaca , do Bando de Lampião, Quitéria Sá, ou Quitéria Zuza como é mais conhecida no Povoado Moderna, Município de Sertânia, Sertão do Moxotó
Completará cem anos de idade no próximo dia 27 de Outubro, domingo. Para celebrar o seu centenário de existência haverá uma grande festa no Povoado, com Música, poesia , entrevistas, conversas, além de muita comida e bebida, é claro.

A Festa comemorativa dos cem anos de Quiteria Sá terá como atrações músicas e poesias sobre o cangaço. Antônio Amaral , Cantor e compositor sertaniense, acompanhada da Banda Acordes fará um show de Música e poesia, com participação especial do Poeta Josessandro Andrade. Antônio trará músicas como “Cangaceiro”, vencedora do Festival de Música de Afogados da Ingazeira, No final dos Anos 1980, na voz de Chico Arruda , acompanhado do Sexteto Tamba, cujo versos musicais certamente lembrarão a aniversariante o seu irmão famoso: “ Não tenho a conta dos perigos que passei/Não faço média das vezes que já morri/ um cangaceiro mouro e bárbaro sem lei/ nos altiplanos condoreiros do Sertão/ A cor do sangue é a cor do guerrilheiro/ corpo ligeiro, olhar de corvo fatal/ Bandoleiro de batalhas nas volantes/ aço malhado ,estilhaços de um tiro/ se refez retiro no silêncio da prisão/ (...) Corisco doido, Jararaca Aluvião..”. Antônio mostrará também outras músicas de sua autoria como” Tacho de saudade”, gravada na voz de Santana e “Mulher de Invernia”, interpretada Por Flávio José, ambas em CD de César Amaral. Esta última vencedora do Forró Fest Paraíba 2005. Atração especial do Show, o poeta Josessandro Andrade declamará Poemas dos Mestres do Moxotó Como Alcides Lopes de Siqueira, Ulysses Lins, Waldemar Cordeiro e do cordelista Genival Pereira(Gato Novo- O Poeta do Povo), além de poetas contemporâneos com Hamilton Rodrigues, Jairo Araujo, Wilson Freire e Walmar, recitados no intervalo das músicas. Ele apresentará também um cordel de sua autoria dedicado a aniversariante. Haverá lançamento dos Jornal de Poesia Cabeça de Rato, que este ano completará 25 anos e participação de Poetas da SAPECAS-Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores de Sertânia. A atração especial da festa é a Cantora Cida Dyas, que encerrá o evento com chave de ouro.

Dona Quitéria Santana é filha de Manuel Leite de Santana, (Mané Zuza) e Maria Luiza de Santana, pais adotivos de Jararaca, que o criaram , Já que o mesmo era filho de um irmão de Mané Zuza. Lúcida, forte, Dona Quite´ria é descrita pelos familares, amigos e conhecidos no povoado pertencente ao Município de Sertânia como uma pessoa espirituosa, bem-humorada.
“Ela Ainda dança e bebe. Aliás sempre bebeu, mas tem uma saúde de ferro”, atesta o Agrônomo Cicero Paulo Sampaio, sobrinho-neto de Quitéria Zuza. “As farras que participei nas festas com ela eram atrativas não pela bebida, mas pela inteligência e sabedoria de Tia Quitéria ”, garante Sampaio.

Há outra irmã do cangaceiro Jararaca, Germana Sá, com cerca de 80 anos. Ela e Quitéria Zuza são as que ainda restam vivas. Haviam ainda José de Sá , Tatái, falecido em 1997 e Félix Sá, que se foi há alguns anos, ambos na casa dos 90 anos, sendo que o último faleceu em um acidente de moto. Todos eles iam anualmente no dia de finados, 02 de novembro, em caravana com outros parentes visitar o túmulo do Irmão em Mosoró-RN. Os irmãos daquele que foi o cabra mais valente do bando de Lampião mantém este costume até hoje, tanto é que já estão com todos os preparativos para repetir a mesma viagem este ano, daqui há alguns dias. Além da família, a localidade faz questão de manter o vínculo com o histórico filho do lugar. No Parque aquático Oásis Nordestino, entre suas piscinas há uma estátua do famoso cangaceiro, que jorra água, espécie de bica criativa e o lugar já é Ponto turístico da região.

De acordo com O Professor João Lúcio, Secretário de Cultura e Juventude do Município de Sertânia, Jararaca é filho natural da Moderna, povoado pertencente ao Municipio sertaniense, mas foi registrado em Buíque, pelo fato de ser mais próximo o cartório daquela localidade.Mas a vida de Jararaca foi em solo sertaniense, a sua casa ainda está lá, conservada. “Temos todo interesse que o Município de Sertânia estreite esta relação com a Memória de Moderna e a trajetória de Jararaca. Todo isto é História”, afirma João. Segundo ele está sendo mantido entendimento com o agrônomo Cicero Paulo Sampaio, que é Secretário de Agricultura d o Município para estudar a possibilidade de instalação de um Ponto de memória, na Casa de Jararaca, um espécie de Museu do cangaceiro e suas origens, que se confundem com as raízes de Moderna. Cícero Paulo é proprietário do espólio de Jararaca, casa e terra. Cicero Paulo, que é um entusiasta do Turismo Rural, acrescenta que já estiveram no local, pesquisadores do Rio Grande do Norte, que fotografaram a casa, filmaram o local e entrevistaram dona Quitéria Sá e outros parentes.

JARARACA: O CABRA

José leite de Santana nasceu em Moderna, Município de Sertânia-PE, em 1901. De 1921 a 1926, serviu o Exército, em Aracaju, estado de Sergipe, tendo deixado as fileiras das Forças armadas por ter participado de uma Insurreição Militar na base onde servia. Retorna a Moderna e logo a seguir adere ao Cangaço do Capitão Virgulino Ferreira, o Lampião. Foi a grande baixa do Bando no Frustrado ataque a Mossoró. Foi cruelmente assassinado e enterrado vivo pelas forças policiais daquele estado Potigar, o que levou a algumas pessoas , diante de seu tamanho sofrimento, acreditarem que o mesmo tenha virado Santo. Muitas pessoas fazem promessas para o mesmo e seu túmulo é cercado de romeiros e fies que deixam nele ex-votos. Para José de Santana, mais conhecido como Gaúcho, empresário, ex-vereador e sobrinho -neto do Cangaceiro, “Jararaca é um retrato fiel da gente da Moderna,na sua rebeldia e na sua coragem.”, define Gaúcho.

Páginas